Romantismo no Brasil e a Escola de Belas Artes

A Missão Artística Francesa no Brasil tinha dois objetivos: fazer um registro da paisagem local, do cotidiano e dos moradores dessas terras; e fundar uma academia de belas artes. Após alguns dos artistas terem ido embora, não tardou para ser criada a Academia Imperial de Belas Artes, no Rio de Janeiro. Nessa academia, funcionavam várias cadeiras (as disciplinas) de pintura, escultura, gravura, etc. Nelas, os alunos aprendiam várias técnicas novas, vindas da Europa e, quando se aperfeiçoavam e se tornavam artistas, voltavam à Academia como professores. No final do século XIX, chegavam a ganhar prêmios de viagem para estudarem etm outros países.

Esses artistas importaram muitos estilos, como o Neoclassicismo (clique aqui para saber mais sobre o Neoclassicismo), o Realismo (clique aqui para saber mais sobre o Realismo), o Impressionismo (clique aqui para saber mais sobre o Impressionismo) e o Romantismo.

O Romantismo foi um movimento artístico que surgiu na Europa no século XIX. Lá, eles queriam se libertar justamente da Academia, a favor da livre expressão do artista. No Brasil, ao contrário, virou assunto da Academia de Belas Artes. Contradições a parte, os temas são os mesmos: valorizavam a emoção, a fantasia e a fuga para mundos exóticos através das alegorias (personagens que simbolizavam algum valor como amor, guerra, dor, etc); apreciavam a natureza (criando pinturas de paisagens como temas principais); se interessavam pelas histórias bíblicas ou da Idade Média; criavam pinturas e esculturas com temática nacionalista (homenagens à Nação, histórias de guerras e conquistas); idealizavam as histórias (a ponto de “enfeitar” a realidade). Uma temática que surgiu no Brasil foi o indigenismo. Nesse tema, o indígena brasileiro era o personagem principal. Mas era visto de forma romântica, semelhante a um herói grego. Suas verdadeiras histórias e características não importavam tanto. Os descendentes de etnias africanas ainda escravizados nem sempre eram retratados; quando eram, a condição de sofrimento e dor era minimizada.

Abaixo, algumas pinturas românticas no contexto brasileiro (clique nas imagens para ler os nomes dos artistas e os títulos das obras). Obs: Jean-Baptiste Debret veio com a Missão Francesa e foi embora antes da criação da Academia. Já Johann Moritz Rugendas veio com a Missão Austríaca.

 

A Academia Imperial de Belas Artes, se tornou Escola Nacional de Belas Artes após a Proclamação da República. Seu prédio original foi demolido e passou a compartilhar o espaço do Museu Nacional de Belas Artes (clique aqui para conhecer mais sobre a história do museu) e hoje, como Escola de Belas Artes (link para o site da escola), pertence à Universidade Federal do Rio de Janeiro. Sem prédio próprio, se encontra na reitoria da Universidade, junto à Faculdade de Arquitetura e Urbanismo.

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s